Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Dia 31: o tão esperado

por Perseide, em 02.07.12

O tempo, já dizia Einstein, é relativo. Um mês pode passar muito rápido para os mais velhos, parecer uma eternidade para uma criança, e impossível de levar a cabo para quem faz dieta. Quando estamos habituados a comer tudo o que nos apetece, imaginar um mês privado dos melhores sabores que experimentamos pode soar a tortura. E na verdade, acredito que o seja: se for feito de maneira errada.

Quis mentalizar-me que este dia ia chegar rápido e na verdade chegou.

Passou um mês de dieta hiperproteica, hipocalórica, sem passar fome e com resultados visíveis!
Posso sem sombra de dúvida dizer agora que recomendo esta dieta a qualquer indivíduo saudável que pretenda perder peso sem demasiados esforços.

O esforço é a privação dos hidratos de carbono, mas para a mensagem passar acho importante senti-lo na pele. Afinal também tivemos muitos bons momentos a comer aquilo que não devíamos, certo? E como na natureza nada se perde, tudo se transforma, agora é hora de "pagar" por esses pequenos exageros.

Noto que estou mais magra e que o meu corpo se vê mais definido, isto graças à ginástica que faço. Ao mesmo tempo fiz uns dias de asneira a mais lá para trás, abusei (muito) bem nos dias de mais liberdade e o meu objectivo ainda não está a 100%. Por isso vou continuar mais uns dias a dieta até conseguir o meu objectivo. Afinal, se já cheguei até aqui, mais vale levar tudo até ao fim!

Almoço: filete de peixe-espada com bolinhos de courgette
Os bolinhos de courgette são uma espécie de bolos de bacalhau (mas sem bacalhau, sem batata, sem farinha) com courgette e queijo. No entanto, e mais uma vez, foi difícil ligar os ingredientes! O ovo escorria, e a forma não se mantinha muito bem enquanto fritava. Precisa de algo que os compacte mais. Mas o sabor é muito bom e têm uma textura levemente crocante graças à courgette.

Jantar: requeijão com legumes: cenoura, aipo, rabanete
Como hoje não fui correr nem me apetecia mais sopa repeti este jantar light. Desta vez tentei sem cebola nem alho, mas continuo a não achar muita piada e achar algo enjoativo. Lembrei-me mais tarde que o sumo de limão talvez ajudasse!

- Como já disse anteriormente, estou a postar em deferido. Pelo que neste momento vou muito mais avançada na dieta. ;-)
 Portanto, continuei para lá do dia 31 e o balanço que deixo do pré e pós dieta corresponde ao dia 35! Confiram:


                                                     
              Não sou muito adepta de divulgar dados "pessoais", mas aqui fica a tabela que fiz. Espero que se revejam nos resultados ou apresentem uns ainda melhores!! :-)

Como vêem, não é preciso nem se deve andar com a balança sempre atrás ao fazer uma dieta. Eu segui à risca as recomendações do livro e pesei-me mais ou menos cada 15 dias. Excepto no "fim", ou dia 35 para fazer um balanço mais correcto. Caso contrário tinha desanimado com certeza ao não ver os ponteiros baixarem ao ritmo que queria.
Noto que há alturas em que emagreço mais e outras menos, e ao que parece é normal. Seguindo a página facebook do livro  parece que acontece com mais gente. E claro, quanto mais se perde, mais dificil fica emagrecer.
A última pesagem e medidas que tirei foram do dia 56 e estou quaaaaseee a atingir o meu objectivo! Mas está a custar chegar lá. Principalmente por causa da barriga! É a parte que me estou a focar mais neste momento. Mas a barriga está sob influência de imensos factores, principalmente a função intestinal, os ciclos mentruais e claro, genética.
Disseram-me que os cremes lipolíticos à base de café fazem mesmo efeito em zonas problemáticas localizadas.. se calhar devia investir nisso para a "operação bikini".
De todas as maneiras, estou bastante contente com os resultados. Acho que ter decidido fazer esta dieta foi das melhores decisões que tomei este ano. Sinto-me me muito melhor, sou mais cuidadosa com a comida e sinto-me capaz de controlar aqueles desejos por doces, que era um grande problema. 
Além disso, e como troféu final: consegui vestir a saia 36 que tinha cá guardada em casa desde há 10 anos. Nem acreditava quando me vi com ela vestida!! Guardei-a todo este tempo como uma recordação para mim mesma do tempo em que podia vestir aquilo que me apetecia e como lembrança para voltar aí. Pensar que há dois anos não a conseguia fazer passar das coxas e agora consigo apertá-la e andar com ela é uma grande, grande vitória.
Por isso, a tod@s vocês, encontrem "a vossa  própria saia 36", sigam em frente e motivados numa dieta, na manutenção de um estilo de vida saudável ou na práctica de um desporto que vos proporcione prazer e festejem no dia que conseguirem vestir aquela peça de roupa que tanto esperou! No fundo não depende de mais ninguém além de nós.

Vou postando os resultados posteriores!


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:50

Porquê uma dieta?

por Perseide, em 28.06.12

Há muita gente que me pergunta o porquê de uma dieta, que me desaconselha a seguir um padrão alimentar tão restrictivo e que diz que se me limitasse a fazer uma alimentação normal que emagreceria.

Mas não é bem assim:

Vou fazer uma pequena retrospectiva pessoal: há cerca de 8 anos atrás mudei para um estilo de vida bastante sedentário e, não bastasse não ter reduzido o que ingeria, ainda comecei a comer alimentos mais calóricos. E inevitavelmente engordei.
Para 1,62m chegar a pesar 65kg (acho que cheguei aos 67kg uns meses) já é indicador de Sobrepeso (IMC>24). Era algo que me fazia sentir mal e que todos os dias pensava mudar. Mas nunca passava daí: “pensar”. Até que há pouco tempo atrás resolvi deixar de ser passiva e decidir o que queria fazer com o meu corpo.
Comecei a praticar desporto: spinning, step, jogging (como exercício aeróbio), e GAP, pilates e yoga (como anaeróbio). Resultado? Odiava desporto, hoje em dia adoro.
Há cerca de um ano resolvi mudar os meus hábitos alimentares e ganhei (felizmente!) o gosto pela cozinha: no dia-a-dia cozinho pratos muito saudáveis  e com sabor, que é bastante prazeroso!, como raramente fora de casa e evito produtos pré-fabricados .
Tudo isto revolucionou a minha vida! Com estas mudanças emagreci cerca de 5kg, tonifiquei bastante o meu corpo e comecei a sentir-me melhor comigo mesma. Já não era a mesma pessoa de há uns anos atrás.


Say no - Imagem retirada da Internet

Contudo isto não foi suficiente para atingir o peso que busco atingir. A prática de desporto que não seja num nível intenso não me vai fazer
emagrecer mais do que isto, nem comendo de forma saudável!
E porquê? Porque comer de forma saudável é isso mesmo: dar ao nosso organismo aquilo que ele necessita.
Logo, se ele tem aquilo que precisa porque é que há-de queimar as reservas que tem? E sem isso não se emagrece...

Então, para o conseguir é simples: há que criar um balance energético negativo – comer menos do que se gasta/gastar mais do que se come!
- Se eu gasto diariamente 1800kcal e ingiro 1800kcal «+1800-1800 = 0», dá um Balance Energético de Zero: não vou emagrecer, vou manter o meu peso.
- Se eu gasto 1800kcal e reduzir a ingestão de calorias para 1600kcal diárias «+1600-1800=-200» dá um Balance Energético Negativo: aí sim, crio uma privação e o meu organismo vai ter de mobilizar as reservas que tinha acumuladas. Todos aqueles adipócitos, as células que guardam as gotas de gordura, vão ser “chamados” a cedê-la.
É assim que se emagrece. Sem criar um Balance Energético Negativo ninguém, ninguém mesmo, emagrece. Por muito que queira acreditar em milagres, há que ser realistas.

E até quando fazer dieta? Até obter o peso desejado, claro. Mas, e a partir daí?!
Uma dieta equilibrada é para manter para a vida. É lógico que se voltar a comer como antes e não gastar essas calorias qualquer pessoa engordará. Mas também é lógico que comer como antes é errado e é para mudar.
Se sei que não gasto mais de 1800kcal não posso comer 2000kcal por dia!

Uma vez que tiver emagrecido deve-se voltar a comer de forma saudável, voltando a integrar todos os alimentos mas não ultrapassando as necessidades calóricas que se necessitam. E assim esse peso atingido será mantido.
Pode-se abusar, desde que nos dias seguintes se compense.

Compensação é a palavra de ordem, ou chamemos-lhe equilibrio, como qualquer outra coisa na vida!
Se não dormimos uma noite, no dia seguinte vamos ter de repor essas horas de sono. Se acumulámos trabalho durante a semana, quando o fim-de-semana chegar vamos ter de trabalhar e compensar o que não se fez nos últimos dias.
Se comemos um jantar muito calórico hoje amanhã temos de nos moderar para permitir que o corpo gaste o excesso do dia anterior.


Emotional Eating - Imagem retirada da Internet

Muitas vezes o problema reside na força de vontade para mudar e manter os hábitos. É que comer é um acto que nos dá prazer. Aliás, segundo a Teoria Psicanalítica, o prazer oral é o primeiro que experimentamos quando somos crianças e, tal como os outros, perpetua-se na vida adulta. Comer é um exemplo, tal como a sucção do mamilo, o beijo ou fumar. 
Por isso desvincular-se afectivamente da comida, deixar de a ver como algo que nos faça sentir melhor emocionalmente mas sim como algo que vai nutrir o nosso corpo é do meu ponto de vista um grande passo. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:26

Dia 18: doce? "que é isto?!"

por Perseide, em 15.06.12

A fome insaciável que sentia ontem hoje já não se fez tanto notar, mas continuo com a sensação que estou inchada e que a dieta não está a fazer efeito nenhum esta semana!
Ainda assim, vou conter a vontade de me pesar até ao fim desta 2ª fase. Que é como quem diz, o dia 31.

Uma particularidade a notar: desde o início da dieta que tenho comido frequentemente ao pequeno-almoço os meus já habituais flocos de aveia com iogurte. Simplesmente deixei de por adoçante.
Usava adoçante à base de Stevia, que dizem ter menos malefícios que o Aspartamo, mas ainda assim achei que devia reeducar-me e eliminar a vontade dos doces – que é o que mais me faz pecar.

Mas esta manhã analisei os valores nutricionais e conclui que um bocadinho não ia alterar nada à dieta. (Estava a precisar de um mini-mini-miminho)
Pois bem, encontrei o sabor esquisito! Demasiado doce, na verdade! E olhem que pus menos do que costumava. 

É a segunda vez que reajo assim frente aos doces: no fim-de-semana havia já tomado um café com açúcar que se revelou quase intragável! Parece-me que é a confirmação que o meu cérebro se está a desabituar ao sabor doce! Um dos meus principais objectivos! 
O que me parece que não vai embora é a vontade de um bolinho, um chocolate (mesmo preto, daqueles com 70% de cacau.. que delícia) ou um pãozinho fresquinho (que tenho evitado mesmo pela manhã).

Almoço: Frango com manjericão
o manjericão é conhecido de todos pelas suas propriedades aromáticas. Apesar disso, especialmente por não gostar do aroma, esta foi a primeira vez que o utilizei em cozinha!
O frango ficou delicioso! Molho soja+limão+manjericão… imaginem! Ficou com um paladar fantástico e que apela ao verão que já se começa a fazer sentir.
Há que ter cuidado para não deixar queimar o molho e por isso manter o lume brando.
Juntei-lhe de companhia uma salada de alface e tomate. Um óptimo prato para estes dias de calor! 
            
              Frango com limão e manjericão - Imagem retirada da internet

Lanche: pasta de limão
Já me perguntaram várias vezes o que é que como ao lanche. Apesar do fiambre de peru e queijinhos light serem as minhas principais escolhas, de vez em quando há que variar. 
Esta pasta surpreendeu-me!
Fiz uma mistura com Philadelphia, iogurte, sumo de limão e legumes às tiras. Revelou-se saciante para um lanche e ainda para correr e fazer ginástica localizada!

Jantar: sopa
Aproveitei a que tinha feito ontem, com um bocadinho de gelatina de sobremesa.
Hoje pareceu-me que fiquei mais satisfeita e já não achei tão esquisito jantar apenas isto!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:36

Dia 16: custa voltar aos eixos

por Perseide, em 12.06.12

Estes dois dias têm sido mais complicados de seguir... Terá sido por ter abusado dos hidratos de carbono no fim-de-semana?
Já estava a gostar de voltar a comer de tudo... E de repente, regresso às Proteínas & Cia Lda!
Mas não é por isso que vou ceder à tentação! I can!
Quando a fome aperta há umas cenourinhas, fiambre de peru, queijinhos e outras coisas boas com que matar a fome!

Almoço: Salsichas enroladas em couve lombarda (receita do dia 3)
Esta foi uma das receitas que deixei para mais tarde porque achava bastante simples e rápida. Não tinha couve lombarda em casa pelo que usei folhas de repolho. Não façam isto...
O resultado não é de todo o mesmo!As folhas de repolho ficaram bastante duras (mesmo após as ter cozinhado previamente alguns minutos)....
Fica a nota para tentar de novo, mais tarde e com os ingredientes correctos.

                 
                  Enrolados de salsicha - Imagem retirada da internet

Jantar: Bacalhau na broa

De nome traiçoeiro, a verdade é que a receita tem de ser adaptada… sem a broa!
Tudo em prol de um prato saboroso, sem quebrar as regras.
Não conhecia o prato original e apreciei bastante a mistura do bacalhau com a cebola e os espinafres que é sugerida no livro!
Contudo, e apesar do sal e da pimenta, acho que falta um temperozinho para sublimar o sabor.
Sugestões para um prato destes? Salsa, louro, estragão talvez? 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:43

Dia 15: olá fruta e sopa!

por Perseide, em 12.06.12

Hoje começa a 2ª fase da dieta!! 
Isso significa que posso começar a comer fruta e sopa… muito moderadamente. No entanto, como só é permitida uma peça de fruta por dia - e eu já como uma laranja ao pequeno-almoço - não noto uma grande alteração a esse respeito (será que fiz mal?).
E o que vai saber mesmo bem é redescobrir a sopa ao jantar. Só há um senão: nos dias em que jantar sopa, é apenas sopa e gelatina desde as 18h30 até à hora de ir dormir...
(Longe vai o tempo das minhas bolachinhas Maria depois de jantar....)

O dia 15, sendo o meio da dieta, dá direito a pesar e tirar medidas. Porém, visto que abusei demasiado no fim-de-semana resolvi prolongar a 1ª fase mais dois dias e não introduzir já a sopa.

Mas então, em 15 dias de dieta, o que é que eu noto?
Bastantes mudanças para dizer a verdade!
Algumas pessoas, que não me viam há algumas semanas, comentaram que estava mais magra... e eu noto a grande diferença na roupa, mais que no espelho.
Está tudo largo, mesmo largo… vou apertando o cinto e ainda assim sinto-me a boiar no meio das gangas! Acaba por ser desconfortável… É curioso, devia sentir-me feliz por ter emagrecido - e estou, claro - mas ao mesmo tempo a roupa já não assenta tão bem. E como a época é de crise, e porque devo esperar o meu peso estabilizar, não vai haver roupa nova pra ninguém nos próximos 15 dias!
 Pela primeira vez começo a ver os bons resultados de ter guardado algumas peçinhas do tempo em que era mais nova… e mais magra!

E com que deliciosas receitas iniciei esta nova fase? Aquelas que vêem no livro.
Almoço: Miniquiche de salmão, alho-francês e cogumelos.
É bastante simples de fazer e muito saborosa!
Sou suspeita porque adoro os ingredientes, que além disso se combinam muito bem.
Há que ter cuidado para não salgar demasiado os ovos que se juntam à massa, porque o salmão já é salgado de si.
Propõe-se cozer 45 minutos ou até ficar dourada. No meu caso 20 minutos foram demasiado. Convém vigiar para não deixar secar demasiado a massa e manter assim uma textura algo esponjosa e própria de uma quiche!


           
            Quiche - sans pâte au saumon et roquette - Imagem retirada da internet


Jantar: Bife de vaca grelhado com cogumelos cremosos (do dia 12)
Substitui a sopa por esta receita para me privar mais um bocadinho dos hidratos de carbono depois da dose do fim-de-semana.
A receita é deliciosa!
Um bifinho grelhado com cogumelos e espinafres envoltos num molho cremoso... e acompanhados com tomate e orégãos. Em modo de sobremesa ainda juntei uma Coca-cola Zero

É raro beber Coca-cola... nunca percebi o fascínio por essa bebida cheia de gás. Mas já que não há sobremesas e aquilo tem um leve sabor adocicado até calha bem para acompanhar algumas refeições. Além de que nem parece que estamos a fazer dieta!
E com receitas assim, quem se lembra dos hidratos de carbono? 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:13

Dia 7: o primeiro Dia da Asneira

por Perseide, em 03.06.12

Ei-lo finalmente! "O" Dia da Asneira!
Na verdade começei a prevaricar no jantar da véspera, por isso hoje, à hora do jantar, já estava de regresso às regras. No entanto soube muito bem ter parte de um dia para matar saudades das pequenas privações!

Almoço: Massa com salsichas de peru e paio.
Juntei a massa cozida às salsichas e paio aos bocadinhos numa frigideira. Depois adicionei um bocadinho de queijo Philadelphia magro e um de parmesão ralado.
Estava com vontade de uma pizza ou uma massa à carbonara mas não tinha ingredientes suficientes para nenhuma delas e consegui matar as saudades da massa com este prato!
No fim, não ficou tão calórico como a carbonara! Pelo menos não levou natas nem carne de porco. Por isso até me sinto de consicencia tranquila e apetite saciado. :)
Claro que no fim comi uns moranguinhos e ainda uma fatia de bolo de maçã e canela caseiro! Que delícia.

Jantar: Peixe-gato com courgette.
Como o dia 7 não tem receitas no livro e no dia 6 o jantar é sashimi – e eu não confio em peixe cru – aproveitei o que existia no frigorífico para preparar um jantar com alimentos permitidos.
Mas não resisti a uma colher de sopinha de legumes... foi uma transgressão mas estava cheia de saudades e não tive oportunidade antes. Além disso fiz exercício e achei que podia abusar um bocadinho. Atenção, comi a sopa, mas tive o cuidado de separar as cenouras! Porque essas sim, têm hidratos de carbono! 



E ao fim de uma semana, que evolução noto?
Vou resistir à tentação de me pesar, como é aconselhado. Se subir à balança e não vir o ponteiro descer com certeza desanimo para continuar mais uma semana!
Sinceramente, parece-me que noto uma ligeira diferença na roupa, mas por outro lado também penso que pode ser ilusão minha...
Resolvi fazer o meu "teste da saia". Tenho uma saia tamanho 36 que não visto há 10 anos! Há dois anos não a conseguia vestir, há um ano não a conseguia apertar... Mas guardei-a sempre com esperança de a voltar a vestir.. por isso acho que faz parte dos objectivos a atingir com esta dieta. 
Portanto, vesti a saia a e parece-me que está mais folgada! Continuo a não sair com ela à rua, mas pelo menos aperto um 36, coisa impossível há um ano!

Além disso parece-me que vejo os meus músculos mais definidos. Faço ginástica localizada há cerca de um ano, mas apesar de sentir os músculos mais tonificados, fortes, não notava muitas diferenças no aspecto corporal.
É simples... com uma camada adiposa por cima, nem o músculo mais tonificado de todos se vai ver. Daí o problema dos abdominais...
Começo a ver uns contornos. Dupla satisfação! :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:27

Mens sana in corpore sano

por Perseide, em 15.05.12

Sou uma jovem, na casa dos 20, e o meu objectivo é perder entre 2 a 5 kilos. A dieta promete um mínimo de 3, por isso começo bem motivada!

Não sou uma pessoa gorda, e para uma breve análise:
Índice de Massa Corporal: 22,9.
Altura: 1,62
Peso: 60kg.
E para manter um corpo proporcional o mínimo que devo pesar são 55kg. Este facto já o tinha debatido com uma nutricionista há vários anos atrás. Mas desisti do programa que fiz na época passado pouco mais de uma semana.

Tal como a Ágata Roquette, que é nutricionista e criou esta dieta, a minha formação também é na área da saúde, por isso analisei o que ela nos propõe e conclui que sim, esta seria uma dieta que merecia ser levada a cabo.

Seguindo algumas linhas de famosas dietas com redução das quantidades de hidratos de carbono ingeridos – como a dieta americana do Dr. Atkins ou a francesa do Dr. Dukan – não é aplicável a todas as pessoas, mas as consequências nefastas para indivíduos saudáveis, arrisco a dizer, são mínimas. Isto claro quando seguida por um curto período de tempo.
E um mês passa tão rápido!

Não me quero extender, mas acho pertinente deixar uns pontos essenciais:

-> “Mens sana in corpore sano” diziam os romanos. (Mente sã em corpo são).
Magreza e gordura - os extremos, nenhum deles é desejável. Há que procurar o equilíbrio.
E não olhar só à questão estética! Qualquer um destes extremo nos traz malefícios para a nossa saúde; e saúde é bem-estar.
 
-> Não há milagres.
Para emagrecer há que ter em conta o balance energético. O saldo de energia tem de ser negativo para o nosso corpo queimar as reservas. = comer menos do que se gasta/gastar mais do que se come.


-> Autodisciplina.
É o segredo para levar uma vida correcta, e aplica-se a tudo, principalmente numa dieta! E isso requer…

-> Motivação!
Qualquer sacrifício (e neste caso vamos sacrificar os hidratos que carbono a que estamos tão habituados) necessita uma extra-dose de motivação.  Não aconselho ninguém a lançar-se nisso sem que esta o acompanhe porque será muito mais difícil e pode levar a que desista a pouco tempo de começar.
Visualize o objectivo que quer, como isso o fará sentir, inspire-se num modelo…. Mas encontre uma fonte que lhe permita ir buscar força para cada um dos 31 dias que se seguem.

Não crie uma obsessão com o peso, mas estabeleça um objectivo a ser atingido se acha que beneficiará com uma redução dos quilinhos acumulados. Não acha que é hora de se sentir melhor consigo? Melhor na sua pele?

A minha motivação é encontrar o meu corpo, o meu peso ideal, manter-me saudável e poder assim dar o exemplo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:28

Visitas



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisa

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2013

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
2425262728




Arquivos

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D