Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Cancro e alimentação (Dia Mundial Contra o Cancro)

por Perseide, em 05.02.13
Para quem não soube, ontem foi o DIA MUNDIAL CONTRA O CANCRO.
Cancro é, ainda hoje, uma palavra que faz estremecer muitas pessoas, que logo a associam a morte e sofrimento inevitáveis.
A realidade, felizmente, não é essa: hoje em dia os tratamentos, e sobretudo o diagnóstico precoce, estão muito avançados possibilitando uma intervenção em estados iniciais. 
Mas a área oncológica que está em maior evolução é talvez a identificação dos factores de risco, porque na verdade, a melhor solução é mesmo prevenir.
E de entre todos os factores de risco, sabem qual é o maior de todos? É a razão deste texto se encontrar neste blog: a alimentação.
Aceita-se, actualmente, 35% das mortes atribuídas a cancro tenham a sua origem numa dieta inadequada. E em alguns casos pode chegar a 70%! Ou seja, em 100 pessoas que morreram devido ao cancro, 35 delas desenvolveram-no por terem maus hábitos alimentares.
Então, convencido a melhorar a sua alimentação, ou motivado a manter a sua dieta saudável?
Vejamos alguns exemplos de hábitos alimentares e os cancros cuja sua associação como factor de risco está PROVADA:
- excesso de calorias, por sua vez associado a obesidade: cancro da mama, ovário, próstata, útero, esófago, pâncreas, vias biliares, etc
- excesso de gorduras saturadas: cancro da mama, cólon, de estômago e de próstata
- conservantes e produtos resultantes da preparação de alimentos (como as nitrosaminas nos queimados, alimentos fumados), aditivos: estômago
- excesso de álcool*: fígado, 
- défice de vitaminas (A, E, C) e nutrientes (Selenio, Zinco, Calcio): pulmão, próstata
- défice de fibras: cancro do cólon 

 
*frequentemente a ingestão de álcool é infraestimada. Pensamos que bebemos pouco!
Na verdade, as recomendações da Organização Mundial de Saúde são de 2 copos de vinho por dia para homens e 1 copo de vinho por dia para mulheres. E mais que a gradação alcoólica, é a quantidade ingerida que importa.

Prevenir é a nossa melhor chance. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:21

O lanche saciante: sem fome ao jantar

por Perseide, em 04.02.13

Creio que um problema que nos afecta a todos é a fome à hora de jantar, e uma dor de cabeça na hora de manter um peso adequado.
Depois de um dia cansativo, e de chegar tarde a casa, quem não tem vontade de comer uma refeição saborosa, aconchegante e não pensar sequer na palavra dieta? É perfeitamente normal. Depois de um dia de sacrifícios não nos apeteçe abdicar de este pequeno prazer.

Mas, com a chegada da noite, e seguindo o seu ritmo circadiano natural, o nosso corpo precisa na verdade de muito poucas calorias para se manter a funcionar. E se vamos dormir em seguida, para quê comer como à hora de almoço, quando nos espera ainda meia jornada de trabalho?

Quando decidi baixar o meu peso, a primeira medida que tomei foi à hora do jantar: banir os hidratos de carbono.
Em relação a isto há muita controvérsia: há que sugira não comer hidratos de carbono depois das 18h, e há quem diga que basta apenas reduzir a sua quantidade, assim como de todos os outros alimentos à hora de jantar.
Neste momento alterno entre os dois: prefiro não comer hidratos de carbono à noite, mas se tiver mesmo vontade permito-me uma pequena quantidade.

Mas como fazer para chegar à hora de jantar sem vontade de devorar tudo?
A chave está num lanche saciante.
Tinha lido vários textos sobre a importância de comer gorduras vegetais à hora do lanche, mas só quando pus isso em prática é que me apercebi realmente da importância que têm, pois promovem realmente uma sensação prolongada de saciedade.
Além disso são gorduras de tipo insaturado (ao contrário das saturadas, animais) que promovem o HDL (ou "colesterol bom").
Atenção: não deixa de ser gordura, por isso as quantidades devem ser BEM limitadas. 

Para uma mulher adulta, com uma vida sedentária, recomendo para o lanche uma peça de fruta OU um lacticínio e uma das seguintes gorduras:
- frutos secos: 10 amêndoas / 2 nozes do Brasil
- abacate: meio abacate
- chocolate preto, com mais de 70% de cacau: 2 quadrados de chocolate

Há mais opções, mas pessoalmente só testei estas 4.
Pode ser que alguns perguntem "Então e vou comer só um iogurte e 2 nozes?! Isso vai lá tirar-me a fome...?"
Eu própria me perguntava isso quando lia artigos de dieta! Mas sim, tira. O truque é não ceder à tentação no momento... passados 15 minutos já é possível apreciar a sensação de saciedade. 
Mas o melhor é mesmo chegar à hora de jantar e conseguir comer pouco, o necessário, porque não temos fome!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:30

Dieta ao fim-de-semana

por Perseide, em 02.02.13

Não sou a única a dizer que os fins-de-semana são a melhor fase da semana. 
Uma das razões, para mim, é a de poder dedicar-me com calma ao meu bem-estar físico e recarregar baterias depois dos 5 dias anteriores, quase sempre passados a correr.
Começar com um bom pequeno-almoço - saudável, mas indulgente q.b. - preparar um almoço com calma, fazer uma caminhada, ler, escrever... coisas simples para me reencontrar.

Desde que começei a sério com as dietas o domingo é o dia-feliz da semana, com direito a tudo! Ou o semi-dia, visto que só faço isso até meio da tarde.
Começo sempre por um pequeno-almoço com torradas, café com leite e um cítrico.. para variar da aveia que como durante a semana. E o almoço traz sempre um miminho e uma comida mais elaborada.
Não será este meio dia que arruina uma dieta, e ajuda a controlar a vontade de fazer asneiras de segunda a sexta!



 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:57

Visitas



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisa

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2013

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
2425262728




Arquivos

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D